sexta-feira, 15 de junho de 2012

Os cristãos copiaram o símbolo do peixe de religiões pagãs?


Por vezes ouve-se dizer que os cristãos copiaram ou tomaram emprestado várias coisas de religiões pagãs anteriores ao cristianismo. O símbolo do peixe é uma delas. Há quem diga que ele foi copiado de cultos pagãos da fertilidade e que a mitra, que usam os bispos (católicos e anglicanos), está relacionada com isso, pois nalgumas religiões pagãs o sacerdote se vestia de peixe correspondendo a cabeça à mitra.

O problema com estas e outras relações que se traçam livremente, é que levam a afirmar taxativamente, com base em semelhanças superficiais ou coincidências, certas ligações para as quais não se apresenta a mínima evidência histórica.

Ao faltar vínculos orgânicos entre as crenças, cultos e religiões pagãs, e o cristianismo primitivo, cujos membros aborreciam tudo o que cheirasse a pagão (e estavam dispostos a morrer pelas suas crenças), tais coincidências dificilmente indicam algo mais que o facto que certos símbolos, como a cruz e o peixe, foram e são usados com significados muito diferentes por diversos grupos.

Para demonstrar que o cristianismo copiou o símbolo do peixe do paganismo, dever-se-á explicar, com a documentação pertinente, de que modo, quando e por que ocorreu tal coisa.

Em ausência de tal explicação e da evidência que a apoie e corrobore, a hipótese carece de rigor histórico.

Neste caso concreto deve observar-se que embora o peixe tenha servido como símbolo de diversos cultos não cristãos antigos, não há a menor evidência de que os antigos cristãos o tenham recebido por esta via.

Na verdade, desconhece-se quem foi o primeiro discípulo de Cristo que usou o simbolismo do peixe, mas a evidência arqueológica indica que já era um sinal de identificação próprio dos cristãos na primeira metade do século II.

Em finais do mesmo século, Clemente de Alexandria recomendava aos crentes que incluíssem uma pomba ou um peixe nos seus carimbos. Existem incidentes e ditos do Evangelho que perfeitamente podem ter servido de motivação para o uso deste símbolo.

1. Jesus chamou os apóstolos a ser "pescadores de homens".

2. Pelo menos quatro dos Doze eram pescadores de profissão.

3. Jesus multiplicou pães e peixes, e se o pão podia ser símbolo d`Ele, também podia sê-lo o peixe (de facto, na Igreja medieval o peixe tornou-se também um símbolo eucarístico).

4. No seu tratado sobre o baptismo, Tertuliano nota que, como peixinhos, os cristãos "nascem" na água baptismal, segundo o seu ICHTHYS, Jesus Cristo.

Para além disso, parece claro que o que perpetuou o símbolo do peixe foi que esta palavra em grego servia como acróstico de "Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador".

Dificilmente o simbolismo pode ter relação com cultos em que o oficiante se disfarçava de peixe. Em primeiro lugar porque o peixe nunca se tornou objecto de adoração, nem se associou com cultos de fertilidade dentro do cristianismo. E em segundo lugar, porque a mitra (palavra derivada do grego "turbante") que usam os bispos, que pode assemelhar-se a uma cabeça de peixe, foi desconhecida na Igreja antes do século XI, quando o símbolo do peixe já tinha um milénio de existência.

Em conclusão, não importa o que tenha significado o peixe para diversas religiões, sabemos o que significa para nós cristãos:

Iesous Christos,Theou Yios, Soter

2 comentários:

  1. O natal e outras feriados festivos também foram pura coincidência?

    ResponderEliminar
  2. A festa do Natal é uma aculturação cristã de uma antiga festa pagã que existia no império romano e uma miscelânea de tradições de várias origens.

    http://conhecereis-a-verdade.blogspot.pt/2013/12/sobre-o-natal-e-suas-origens.html

    Quantos a outros feriados festivos não sei a que se refere....

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...