sexta-feira, 8 de abril de 2011

Seria Agostinho de Hipona católico romano?


Agostinho de Hipona, no seu tempo, desconheceu actuais doutrinas peculiares da Igreja Católica Romana como, por exemplo:

1) A eficácia ex opere operato dos sacramentos,
2) O culto às imagens,
3) A infalibilidade do Papa,
4) A confissão auricular como sacramento,
5) A imaculada conceição de Maria,
6) A transubstanciação,
7) A missa como repetição do sacrifício de Cristo,
8) O primado de jurisdição do bispo de Roma sobre a igreja universal.

Ora, a pergunta que se impõe é: pode alguém ser católico romano sem crer nestas doutrinas?

68 comentários:

  1. Conhecereis a verdade, o Rafael é seu fã número 1. Ele mais uma vez uma refutação ao blog, veja:

    SANTO AGOSTINHO ERA PROTESTANTE?

    http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/patristica/controversias/565-santo-agostinho-era-protestante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, vc é o famoso leva e traz, vc trata o responsavel por este blog como se ele fosse o profeta e falasse diretamente em nome de Deus. Vc diz que o Papa não é infalivel mas acredita que o responsavel por escrever aqui o é. O Cara falou que santo agostinho não era católico o outro refutou com documentos e varios escritos, mesmo sem questionar o que o outro escreveu vc chegou aqui para pedir para ele fazer um tréplica, pois para vc o Rafael deve estar errado e seu papa infalivel tem que provar isso. Não tem argumentos, cale-se. Vc é um grande fa do Rafael, reconheça, entra no site dele todos os dias e volta aqui para fazer sua intriga. Grande fifi de fofoqueiro. Tenho certeza que se o autor deste blog responder dizendo que o Rafael só falou besteira, com textos isolados, sem fundamentos, que o mesmo é um copiador, etc, etc.. Vc vai falar que ele acabou com o Rafael, que humilhou, vc deve ser da ala do Sr. Lucas Banzoli que tenta vencer pelo lero lero... Mas vamos aguardar para ver se teremos uma refutação deste site.. Estarei sentado assistindo de camarote..

      Eliminar
    2. ****Amigo, vc é o famoso leva e traz,****

      R: Eu trouxe o link pra cá, mas o que levei pra lá? Pergunte ao Rafael se eu comuniquei algo a ele. Você é confuso!

      ****vc trata o responsavel por este blog como se ele fosse o profeta e falasse diretamente em nome de Deus.*****

      R: Profeta? Falar diretamente em nome de Deus? Você viajou na maionese e caiu de cara na batatinha. Rs.
      O administrador do blog não é Papa. Papa é coisa de católico romanista.


      *****Vc diz que o Papa não é infalivel mas acredita que o responsavel por escrever aqui o é.*****

      R:Eu não creio na infalibilidade do Papa e não creio na infalibilidade de homem nenhum. Entretanto, onde declarei infalibilidade referente ao dono do blog? Você leu a minha mente ou seu raciocínio é condicionado pelo ódio? Cristiano,faz bem procurar um psicólogo.

      ******O Cara falou que santo agostinho não era católico o outro refutou com documentos e varios escritos,*****

      R: O blog apresentou uns pontos e o Rafael contraditou um a um. Cristiano, o católico fez o papel dele e só.

      *****mesmo sem questionar o que o outro escreveu vc chegou aqui para pedir para ele fazer um tréplica,*****

      R: Isso é totalmente falso! Eu não solicitei uma tréplica. O blog responde se quiser.
      Ah! O Rafael não mencionou a fonte do texto que ele refutou, mas o blog exibiu sem problemas o link da refutação dele. Não acha estranho?

      ***** pois para vc o Rafael deve estar errado e seu papa infalivel tem que provar isso.****

      R: Não temos Papa algum! O Rafael é infalível?

      ******Não tem argumentos, cale-se.*******

      R: Quantos argumentos você apresentou? Cristiano, você não tem autoridade para calar ninguém aqui.

      ***** Vc é um grande fa do Rafael, reconheça, entra no site dele todos os dias e volta aqui para fazer sua intriga.*******

      R: Eu frequento diversos sites de apologética católica, espírita etc. Não sou fã de nenhum deles. Cristiano, a sua lógica é ilógica.

      ****Grande fifi de fofoqueiro. Tenho certeza que se o autor deste blog responder dizendo que o Rafael só falou besteira, com textos isolados, sem fundamentos, que o mesmo é um copiador, etc, etc.. Vc vai falar que ele acabou com o Rafael, que humilhou, vc***

      R: Cristiano, a refutação do Rafael nasceu de uma fofoca, segundo a sua lógica.
      Veja o que ele escreveu: "Vários leitores já nos pediram para responder mais esta matéria, porém a falta de tempo nos impossibilitava fazê-lo." sic.
      Caramba! Eu sou o único fifi de fofoqueiro aqui do blog e lá no chiqueiro do Rafael tá cheio de fifi de fofoqueiro. Rs.

      ******deve ser da ala do Sr. Lucas Banzoli que tenta vencer pelo lero lero...*****

      R: Lucas Banzoli na conversa? O que ele tem com isso? Você é fá dele?

      *****Mas vamos aguardar para ver se teremos uma refutação deste site.. Estarei sentado assistindo de camarote..****

      R: Que bom que está acompanhando as publicações. Espero que aprenda alguma coisa.

      Eliminar
    3. Amigo, não entrarei neste jogo, se eu lhe responder iriamos iniciar um debate e como não vejo proveito nisso e nem tempo eu tenho, estou fora. Fica a minha pergunta, pode responder? Qual protestante esta certo na questão de Santo Agostinho? O que postou neste blog, ou o que citei acima? De sua resposta, não precisa escrever um livro, imagine que seja uma pergunta de uma prova e diga, acredito neste porque... Ou acredito naquele porque..... E Pronto! Não é obrigado a responder, mas quem cala.... Preciso de sua resposta para entender melhor a SOLA SCRIPTURA.

      Você disse: R: Que bom que está acompanhando as publicações. Espero que aprenda alguma coisa.
      Tenha certeza que se responder vai me ajudar a aprender muito, ajude um católico que quer aprender de coração!
      Abraços,

      Cristiano

      Eliminar
    4. O amigo está a supor que eu defendo que Agostinho era protestante por dizer que não era católico romano? Como se uma coisa implicasse a outra? Donde tirou essa ideia troglodita?

      Dizer que Agostinho era protestante é tão anacrónico como dizer que era católico romano. Agostinho estava em comunhão com a igreja católica antiga que compreendia toda a cristandade, e pertencia à Igreja Norte-Africana que entretanto desapareceu no século VII com as invasões árabes.

      Pode-se dizer que Agostinho era católico em sentido estrito, mas não era nem protestante nem papista. Entendeu?

      Portanto, não há desacordo entre mim e o outro protestante do outro site quanto a isto. Ambos defendemos que Agostinho não era protestante obviamente.

      Outra coisa é discutir quanto as suas crenças estão mais próximas do protestantismo ou do catolicismo romano atual.

      E o que é que isto tem a ver com entender melhor a Sola Scriptura, conceito defendido por Agostinho embora nem sempre tenha sido consistente com ele?

      Antes de comentar analise primeiro se vai dizer alguma coisa de inteligente e relevante porque se assim não for é melhor ficar calado e não nos fazer perder tempo.

      Eliminar
    5. Quando disse que não há desacordo entre mim e o outro protestante do outro site em que ambos concordamos que Agostinho não era protestante, estava a referir-me a esta página que o Cristiano colocou num comentário anterior mas por algum motivo não apareceu http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/FoiAgostinhoUmProtestante-Willcoxson.htm.

      (reparo agora que o artigo nem é de um protestante mas de um ortodoxo)

      Quanto ao Hélio, citado abaixo pelo Cristiano, obviamente fala do que não sabe e é tão ignorante acerca da História da Igreja e das crenças de Agostinho como os católicos que defendem que Agostinho era romanista.

      Os dois artigos abaixo podem ser bastante instrutivos:

      http://triablogue.blogspot.pt/2010/10/was-augustine-roman-catholic-part-1.html

      http://triablogue.blogspot.pt/2010/10/was-augustine-roman-catholic-part-2.html

      Eliminar
  2. na hora de refutar, escolha a quem vai preferir, se refuta o católico rafael rodrigues ou se refuta o site protestante http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/Agostinho-PerdidoRomanistaPaiErrosHeresias-Helio.htm e seu anorme artigo só confirmando o que o rafael disse mas contra santo agostinho a ponto de falar que ele que foi o pai do catolicismo. Como nós católicos não entendemos de nada, não vale a pena chutar cachorro morto, concordam? Então refutem o site protestante acima que estará refutando o site católico. E agora Unknown? Em qual site protestante vc vai acreditar? Pensando bem é comodo mesmo ser protestante, pois o livre exame me da o direito de ficar do lado de quem eu achar melhor. Veja bem, vc pode acreditar na versão deste site e continuar protestante, pode acreditar no outro e continuar protestante. A diferença é que se vc acreditar no outro site protestante, estará acreditando tb no site católico. Portando se eu fosse protestante na sua situação, acreditaria neste para não dar o braço a torcer aos católicos.

    ResponderEliminar
  3. Prezado “conhecereis a verdade” você diz assim: Quanto ao Hélio, citado abaixo pelo Cristiano, obviamente fala do que não sabe e é tão ignorante acerca da História da Igreja e das crenças de Agostinho como os católicos que defendem que Agostinho era romanista.

    Entendi, todo protestante que pensa de maneira diferente um do outro é ignorante, boa observação a sua, ele é ignorante e vc? você é o que entende, já falou isso para ele?

    Depois vc diz: Dizer que Agostinho era protestante é tão anacrónico como dizer que era católico romano.
    Ora amigo, não tem argumentos e usa praticamente as mesmas palavras do Gustavo do e-cristianismo?
    Veja o que ele diz:
    4) Eu não diria que Cipriano seria um protestante, e muito menos católico (no sentido moderno), embora eu tenha dito que seria mais fácil seus escritos converterem alguém para o protestantismo... Na minha opinião, dizer que Cipriano ou qualquer outro pai da igreja seria protestante ou católico é cometer a falácia do anacronismo. Mas não vejo problema de dizer que Cipriano pode favorecer um ou outro.
    Fonte: http://www.e-cristianismo.com.br/pt/apologistas/75-cipriano-de-cartago-da-unidade-da-igreja

    A diferença é que ele falava de Cipriano e vc reproduziu para Santo Agostinho!

    Amigo, sou ex adventista que estou aprendendo e nem assim vcs conseguem me convencer com tais argumentos, nossa e pensar que cai nessas conversa.
    “Hélio, citado abaixo pelo Cristiano, obviamente fala do que não sabe e é tão ignorante”

    Abraços

    ResponderEliminar
  4. http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/AgostinhoDeHipona-PaiHeresiasRoma-DCloud.htm

    David Cloud - Excerto do livro supracitado.
    Tradução de Mary Schultze, 17/04/2009

    Obs. Protestantes, quem não sabe quem é a Mary Schultze aqui no Brasil?

    O que o historiador batista Thomas Armitage, fala de Santo agostinho?

    E vc ainda diz: (reparo agora que o artigo nem é de um protestante mas de um ortodoxo)

    Qual p problema? O protestante compartilha daquele pensamento e sem contar que o artigo não emite a linha de pensamento do ortodoxo, ele apenas reproduz textos dos escritos de Santo Agostinho, sendo protestante, catolico ou ortodoxo ele mostra sem palavras pessoais que Agostinho era Católico, Ora, vc escreve "Dizer que Agostinho era protestante é tão anacrónico como dizer que era católico romano." Falar isso já desmente o artigo do mesmo? Com isso já posso dizer que é uma refutação? Não estou mandando vc refutar nada, vc tem o direito de refutar ou não, quem vc quiser. Mas seria de grande valor que vc desmoranesse tais argumentos, visto que vc quem instigou a duvida conforme acima. Finalizando, Agostinho não era nem Católico nem protestante, ele era UM EXTRA TERESTRE.rsrs...

    ResponderEliminar
  5. Diz que não tenho argumentos? Não sei se já reparou mas isto é um blog com dezenas de posts, já experimentou dar uma olhada nos temas sobre, o batismo, culto às imagens, a infalibilidade papal, a confissão sacramental (aqui tem como suplemento um estudo bem documentado da origem desta peculiar doutrina http://www.christiantruth.com/articles/penancehistory.html), a imaculada conceição de Maria, a Eucaristia, o papado?

    Se quiser saber a verdade investigue por si mesmo, tire as suas próprias conclusões e não esteja à espera que outros lhe façam a papinha toda. E depois se tiver alguma dúvida em concreto pode vir aqui expô-la. Talvez possamos ajudá-lo.

    Mas já agora o que é que você acha um bom argumento? Citar à toa Agostinho? Dizer que Agostinho cria num purgatório logo era católico romano? Basta crer num purgatório para ser católico romano? Ou crer no purgatório é necessário mas não suficiente para ser católico romano? Você sabe que a virgindade perpétua de maria, a regeneração batismal, a presença real de Cristo na eucaristia, só para dar 3 exemplos, não são doutrinas distintivas do catolicismo romano? Lutero e Calvino por exemplo professavam estas todas.

    Por último, não conhecia as palavras do Gustavo, vejo que é uma pessoa conhecedora e inteligente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prezado conhecereis a verdade, seu advogado disse que lhe ofendi, se fiz isso, me perdoe, não foi esta a minha intenção! Quanto aos seus argumentos, leio eles a muito tempo, como leio os do CACP, do na mira da verdade, e-cristianismo e muitos outros sites protestantes. Conheço este blog a algum tempo e assim como tem suas explicações no qual tenho acesso, tenho acesso também ao veritatis, montfort, lepanto, hora de são jeronimo do Carlos ramalhete que admiro muito e mais recentemente o apologistas católicos e outros sites americanos. Leio todos não porque eu tenha dúvida da minha fé pois se fosse assim, muitos protestantes aqui tb teria, leio para ver as novidades, por exemplo a questão de são cipriano que foi polemizado a poucos dias e para atualizar, somente isso. Sei que não irei trazer vcs para a igreja católica como sei mais ainda que não deixarei se ser católico, parece que tem gente que não entende isso!Não irei mais me alongar aqui em um dialogo que não trará frutos, se for um debate, debate que considero de algum valor, é ao vivo e a cores, com documentos, livros e conhecimentos. Caso tenha alguem de São Paulo que esteja disposto a um debate desta maneira, me procure que organizo tudo, do contrario, debate na internet é pura utopia, vence que saber usar mais e não quem esta com a verdade! Mais uma vez, desculpe se lhe ofendi, irei orar por vc e peço também suas orações,encerro minha participação por escrito aqui, mas continuarei acessando o site! Um cordial abraço em Cristo Jesus. Cristiano

      Eliminar
  6. Coloque no Google

    site:conhecereis-a-verdade.blogspot.com "Agostinho"

    Vai ver que neste blog aparece 102 vezes a palavra Agostinho. E se for perspicaz vai se inteirar de muita coisa a respeito deste antigo bispo de Hipona.

    ResponderEliminar
  7. Cristiano,

    Em primeiro lugar,um assunto de cada vez! A tática da "metralhadora giratória" não funciona conosco.Creio que isto não seja premeditado ou de má fé,mas presumo que seja apenas de um jovem desesperado em busca da verdade.

    Depois de ver o "Conhecereis a Verdade" se esforçando para te explicar e para manter o nível é triste ter que ler isto da sua parte!

    "Finalizando, Agostinho não era nem Católico nem protestante, ele era UM EXTRA TERESTRE.rsrs..."

    Concedendo,ad argumentandum tantun,que Agostinha de Hipona fosse "católico romano" e não adepto da Igreja Católica antiga,latu sensu,ainda assim seria leviano afirmar que Ele cria em todas as doutrinas romanistas de hoje e ainda assim é leviano entrar em um blog para ofender,fazer acusações gratuitas e não fundamentar nada que se está asustenta.O estilo de argumentação é,mutatis mutandis,idêntico ao que os sofistas faziam....O que nos resta?Orarmos pela sua alma e pela sua conversão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prezado "apologista protestante" por acaso lhe dirigir a palavra para se referir dizendo "NÃO FUNCIONA CONOSCO" Me referi ao o "conhecereis a verdade" e acredito que ele não precise de advogado.

      Onde vc percebeu que estou desesperado? Agradeço pelo jovem, mas estou com 33 anos, casado a 14 com uma filha de 12 e outra de 7. Sai do adventismo aos 18 anos, ou seja, a 15 na Igreja católica, se pensa que estou desesperado, lamento informa que não estou, já passei aqui algumas vezes e somente ontem que fiz alguns comentarios e nada mais, não tenho este direito?

      Vc ainda diz:é leviano entrar em um blog para ofender,fazer acusações gratuitas e não fundamentar nada que se está asustenta.

      Desculpe, se questionar um artigo e não concordar é ofender, tem razão, eu ofendi. Agora se disse que ofendi o responsável de maneira pessoal, é calunia, posso não concorda com a teologia dele, mas não tenho nada contra a pessoa dele que nem mesmo o nome eu sei.

      Quanto sua oração por mim, se for de coração eu aceito e tb irei orar por vc, por minha conversão, desista, amo tanto a Cristo e sua igreja que não acreditar em um é o mesmo que não acreditar no outro!

      Eliminar
  8. Prezado Cristiano,

    Discordar não é o mesmo que ofender!Agora chamar um frequentador do blog de "leva e traz" é ofender, sim, até porque isto é muito comum na blogosfera.Isto se chama troca de informações!Outrossim,este blog está repleto de debates em diversos posts e se "questionar um artigo fosse ofensa" não teriam comentários discordantes ou divergentes publicados aqui.

    Em segundo lugar,não sou advogado de ninguém.Meu interesse é a busca da verdade.

    Em terceiro lugar,o tema do post é a comparação do credo do Bispo de Hipona com o atual credo de Roma.Se puderes divergir com FUNDAMENTAÇÃO (da literatura patrística do bispo citado) eu agradeço.

    Em quarto lugar,eu também amo Cristo e sua Igreja,mas minha compreensão eclesiológica é diferente da tua.Igreja não é uma instituição particular!Mas depois você pesquisa isto aqui no blog(se quiser...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1º Amigo, eu poderia aqui demonstrar a mesma pessoas trazendo outros artigos e se ele não é leva e traz, é um traz. Dizer que isso é ofender, me desculpe, deverias ler um dicionario!OFENDER SIGNIFICA "Fazer mal a; lesar,Injuriar; melindrar.Desgostar; escandalizar" eu não fiz isso e quanto a troca de informações, interpreto de outra maneira, não vejo isto coma uma troca.
      2º Se busca a verdade, boa busca, mas abra o coração e deixa o preconceito de lado!

      3º Aqui vc fez uma grande piada, o autor do blog coloca 8 itens que segundo ele Santo Agostinho não era católico,ele somente solta no blog sem colocoar a fontes e vc fala isso? mandei dois links, um do católico Rafael Rodrigues fonte: http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/patristica/controversias/565-santo-agostinho-era-protestante .Onde o mesmo acrescenta mais 9 itens e outros dois de um site protestante, fonte:http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/AgostinhoDeHipona-PaiHeresiasRoma-DCloud.htm estehttp://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/Agostinho-PerdidoRomanistaPaiErrosHeresias-Helio.htm e este http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/FoiAgostinhoUmProtestante-Willcoxson.htm . Um catolico e um protestante mostrando da mesma forma. Se os 8 itens acima é critério para provar que Agostinho era católico, tanto o protestante quanto o católico provam com documentos de Agostinho que ele era católico com sobra!
      4ºRealmente nossa eclesiologia é diferente e vc sabe muito bem disso!
      Finalizo minha participação por escrito e deixo aqui minha proposta, caso seja aqui do Brasil, proponho um debate gravado em cenário, com câmeras e colocamos em uma tv na net. Sem google, apenas com livros, documentos e conhecimentos. Do contrario, é perder tempo discutindo aqui. Abraço e fique na graça do Senhor Jesus!

      Eliminar
    2. 1º Amigo, eu poderia aqui demonstrar a mesma pessoas trazendo outros artigos e se ele não é leva e traz, é um traz.

      R: O que é um leva e traz, Cristiano? Você escreveu: "e volta aqui para fazer sua intriga. Grande fifi de fofoqueiro. "

      Fofoqueiro, FIFI E INTRIGUENTO SÃO rotulações extremamente depreciativas. Eu já compartilhei outras respostas católicas com o interesse de sempre expor os dois lados da moeda. O autor do blog sempre abriu espaço para esse tipo de atitude e isso é muito positivo para os leitores. Ninguém poderá acusá- lo ( O conhecereis a verdade) de parcialidade, covardia ou temor de qualquer espécie. Entretanto, o mesmo não poderá ser apreciado do outro lado.Houve um episódio em que o Rafael abriu uma caixa de comentários,mas depois fechou e apagou as refutações que o blogueiro conhecereis a verdade depositou lá.Triste!

      Cristino, você, nutrido pelo ódio, quis me ofender de maneira vazia, irônica e infantil .

      NÃO SEJA EVASIVO E FALSO! SEJA NO MÍNIMO HOMEM.




      Eliminar
    3. Amigo, se sentou ofendido, não posso fazer nada, diante do que vi, esta é aminha opinião e falo isso para vc! Isto já prova que que não sou EVASIVO, muito menos falso porque falei diretamente para vc e não para outros e prova tb que sou HOMEM, pois assumo o que falo!
      Quanto ao Rafael, me coloco no lugar dele e imagino o tanto de msgs que deveria receber e portanto entendo suas razões!Se o dono desde blog quer refutar ele, não precisa entrar lá, cite aqui o que ele esta refutando e refute! Abraços, Cristiano

      Eliminar
  9. Cristiano,

    Depois de tudo o que falei eu percebo que o Sr ainda não entendeu.Digo isso pelos teus comentários:

    "Aqui vc fez uma grande piada, o autor do blog coloca 8 itens que segundo ele Santo Agostinho não era católico"...

    Agostinho de Hipona não era católico romano nem tampouco protestante e a Igreja católica primitiva NÃO é a mesma coisa da atual Igreja Romana que usurpa a prerrogativa de ser católica!

    Tem um post aqui nesse blog explicando isto!!!Lei lá antes de começar a discussão!É só ir no link "Do termo católica".

    O outro blog citado(Sola Scriptura TT) eu acho fraco se tratando de apologética!É muito carente de fundamentação e digo isso por sinceridade mesmo!

    Quanto a sua sugestão,obrigado,eu não gosto de holofotes,mas eu topo debatermos por aqui à luz da literatura patrística original de uma página séria,por exemplo,"New advent Church Fathers",que é uma página católica,mas é séria e sem interpolações!Aceito debater aqui com você sem nenhuma página protestante com a literatura patrística e com a versão bíblica que você possuir!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois de tudo o que falei eu percebo que o Sr ainda não entendeu.Digo isso pelos teus comentários:

      "Aqui vc fez uma grande piada, o autor do blog coloca 8 itens que segundo ele Santo Agostinho não era católico"...

      Agostinho de Hipona não era católico romano nem tampouco protestante e a Igreja católica primitiva NÃO é a mesma coisa da atual Igreja Romana que usurpa a prerrogativa de ser católica!

      R: Vc fala isso historicamente? Já leu a História do Cristianismo de Paul Paul Johnson? Comecei a ler agora, veja o que ele fala de Santo Agostinho e sua influencia para toda a Igreja católica naquele tempo e depois, inclusive colocando ele como o responsável pela inquisição através de seu pensamento sobre a guerra Santa!
      Outra coisa, sendo eu católico hoje sabendo de todos os seus dogmas, mas após minha morte a igreja reconheça mais alguma revelação de Deus no qual eu não conheci em vida. Deixaria eu de ser católico?

      2º Ellen White "não" acreditava na trindade, segundo alguns Adventistas reformadores, sendo assim ela não era adventista do sétimo dia?
      3º Tinha uma empresa de Construção, acrescentei o ramo de atividade para transporte, por acaso a empresa não é mais minha? Virou uma nova empresa somente porque acrescentei o ramo de atividade? Se souber como funciona uma empresa, deve saber que acrescentar ramo de atividade ou fazer alguma mudança, tipo, endereço ou estatuto, não a torna uma nova empresa.
      O mesmo serve para A Igreja, não importa se ela católica primitiva, apostólica e romana, que importa é que ele foi sempre mesmo com o Espirito Santo guiando e fazendo revelações até em épocas em que homens santos já tinham falecido! continua...

      Eliminar
    2. Tem um post aqui nesse blog explicando isto!!!Lei lá antes de começar a discussão!É só ir no link "Do termo católica".

      Resposta: Cara, para de ser brincalhão, acabei de ver, são 3 artigos, todos soltando veneno sem fontes e apenas com palavras .Mas neste aqui "http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2011/03/o-que-significava-igreja-catolica-no.html " apareceu um irmão católico questionando e passando as fontes e não foi refutado! Valeu pela indicação, não tinha visto aqueles argumentos e já vai fazer um ano que ele postou!

      O outro blog citado(Sola Scriptura TT) eu acho fraco se tratando de apologética!É muito carente de fundamentação e digo isso por sinceridade mesmo!
      Resposta: Sinceridade? Onde? Vc leu o artigo daquele site sobre Santo Agostinho? Viu que não foi o dono do site que escreveu e sim um ortodoxo? Veja novamente em http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/FoiAgostinhoUmProtestante-Willcoxson.htm veja que é um artigo de um ortodoxo, porem somente relatos de Santo Agostinho e sem a opinião do autor, portanto é um artigo a ser refutado por quem não concorda! Tem também http://www.wayoflife.org/fbns/augustinefather.htm, http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/Agustinho-FundadorCatolicismoRomano-Helio.htm, http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/Agostinho-PerdidoRomanistaPaiErrosHeresias-Helio.htm, e http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/AgostinhoDeHipona-PaiHeresiasRoma-DCloud.htm este ultimo é do protestante David Cold.
      Pergunto qual protestante esta certo na interpretação de Agostinho?

      Eliminar
    3. Quanto a sua sugestão,obrigado,eu não gosto de holofotes,mas eu topo debatermos por aqui à luz da literatura patrística original de uma página séria,por exemplo,"New advent Church Fathers",que é uma página católica,mas é séria e sem interpolações!Aceito debater aqui com você sem nenhuma página protestante com a literatura patrística e com a versão bíblica que você possuir!
      Resposta: Não se trata de holofotes, se trata de um debate justo para ambos, não sou debatedor, mas vejo os debates pela net e considero injusto, ex: Não tenho tempo para ficar colado no computador, tenho duas empresas e estudo, fico na rua muito tempo, se debater pelo internet, caso alguém coloque uma questão que o outro não consegue responder, logo um vai pedir ajuda de um amigo para responder e ai não será um debate entre duas pessoas e sim varias! Sendo assim, prefiro um debate ao vivo com filmagem, não terá muita gente, usaremos as fontes que tivermos em mãos!
      “Do contrario, me despeço aqui e deixo a palavra final com vocês que são “doutores” em Patrística” e em História da Igreja!
      Para finalizar, onde se encontra a igreja primitiva hoje? Acabou?
      Jesus disse que estaria conosco todos os dias até o fim do mundo, mostre historicamente ano a ano o povo de Deus até os dias de hoje!

      Agora veja isso:http://novotempo.com/novachance/2013/02/11/papa/ LISTA DE PAPAS SEGUNDO A IGREJA ADVNETISTA DO SÉTIMO.
      O mesmo retirou apenas Pedro, mas inclui todos os outros!
      Abraços!

      Eliminar
    4. Crisitano,

      "Outra coisa, sendo eu católico hoje sabendo de todos os seus dogmas, mas após minha morte a igreja reconheça mais alguma revelação de Deus no qual eu não conheci em vida. Deixaria eu de ser católico?"

      É isso que o seu "Estado" fez,mutatis mutandis,depois das mortes dos apostólos no decorrer dos séculos foram acrescentadas "revelações" anti-bíblicas e ,sim,se hoje a Igreja ,por exemplo, prega o celibato obrigatório dos clérigos e supondo daqui há 1000 anos ela passe a aceitar ;é mais do que óbvio que o seu credo/crença é diferente!!!!Entendeu?

      "Cara, para de ser brincalhão,"

      Cidadão,eu estou te levando a sério!!!!!Ou você me prova,por exemplo,que a Igreja é uma instituição particular ou que Cristo veio fundar um Estado ou que somente a Igreja Romana é "católica" ou que Sto.Agostinho cria nas doutrinas romanas ou responde se um católico romano pode ser católico sem crer em tais doutrinas ou então eu é que não vou mais te levar a sério.

      E,por último,eu gostaria de saber!!!!É sério eu fiquei muito curioso,cidadão,quais os erros "históricos e arqueológicos" da Bíblia!!!Eu fiquei espantado ao ler isto!!!!

      "Para ser mais claro, acredito que a bíblia é um livro infalível em questão de fé e moral, se eu for acreditar que ela é infalível em matéria de história, ciência, arqueologia e outras coisas, irei encontrar muitos erros...."

      Por último...Que Deus te abençoe,cidadão,não tem nada de pessoal aqui não...na verdade só irei orar por você mesmo...

      Eliminar
    5. Então não conhece um erro histórico da Bíblia?

      Aquele quando ela diz que Pedro esteve em Roma (Babilónia em linguagem cifrada), exercendo o seu longo pontificado de 25 anos :-)

      Eliminar
    6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Conhecereis a Verdade.....para de me fazer rir...:)

      Eliminar
    7. Crisitano,

      "Outra coisa, sendo eu católico hoje sabendo de todos os seus dogmas, mas após minha morte a igreja reconheça mais alguma revelação de Deus no qual eu não conheci em vida. Deixaria eu de ser católico?"

      É isso que o seu "Estado" fez,mutatis mutandis,depois das mortes dos apostólos no decorrer dos séculos foram acrescentadas "revelações" anti-bíblicas e ,sim,se hoje a Igreja ,por exemplo, prega o celibato obrigatório dos clérigos e supondo daqui há 1000 anos ela passe a aceitar ;é mais do que óbvio que o seu credo/crença é diferente!!!!Entendeu?
      Resposta, o vc chama de revelações aint-biblicas, chamamos de revelações do Espirito Santo!
      Cidadão, segue meu conselho, compre os livros!
      História do Cristianismo de Paul Bede Johnson. No momento esta difícil de achar
      História da Igreja de Daniel Rops, mais completo, é uma coleção de 10 livros, compre um de cada vez! http://www.quadrante.com.br/livrariavirtual.asp?autor=15&ordem=0&pagina=1
      Considero a melhor obra do mundo sobre história da igreja, é completa!
      E por ultimo o livro de Thomas E. Woods, autor do livro "Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental". Tem um documentário resumido que encontra na net!
      Bom, é apenas sugestão para que possa fazer uma apologia digna de crédito!




      "Cara, para de ser brincalhão,"

      Cidadão,eu estou te levando a sério!!!!!Ou você me prova,por exemplo,que a Igreja é uma instituição particular ou que Cristo veio fundar um Estado ou que somente a Igreja Romana é "católica" ou que Sto.Agostinho cria nas doutrinas romanas ou responde se um católico romano pode ser católico sem crer em tais doutrinas ou então eu é que não vou mais te levar a sério.

      Resposta: Não estou aqui para o debate, propus um debate de um jeito que não aceitou e não aceitei o seu, portanto, não cabe aqui uma resposta que transforme um debate. E para o acusador, cabe o ônus da prova!
      Mas segue mais um conselho, estude patrologia, aconselho para os iniciantes o livro PATROLOGIA de B. Altaner da editora Paulus. Se estudar, não vai ser preciso pegar resposta de ninguém! Só uma dica, varias obras de Santo Agostinho se pederam, da que temos, não encontro ele negando as doutrinas católicas, o simples fator do mesmo não confirmar claramente algum, não quer dizer que ele negue,entendeu? E Portando, só deixarei de ser católico se minha ensinar doutrina que eu discorde, sendo assim, a hereias não será da Igreja e sim a minha que não acreditei nas verdades do Espirito Santo revelados a ele!

      E,por último,eu gostaria de saber!!!!É sério eu fiquei muito curioso,cidadão,quais os erros "históricos e arqueológicos" da Bíblia!!!Eu fiquei espantado ao ler isto!!!!

      Resposta, aqui vc prova como é “apologista” pesquise!

      "Para ser mais claro, acredito que a bíblia é um livro infalível em questão de fé e moral, se eu for acreditar que ela é infalível em matéria de história, ciência, arqueologia e outras coisas, irei encontrar muitos erros...."

      Por último...Que Deus te abençoe,cidadão,não tem nada de pessoal aqui não...na verdade só irei orar por você mesmo...

      Eliminar
    8. Por ultimo ficou uma pergunta que ninguém respondeu e poderia responder para a judar os próprios leitores!

      O artigo aqui diz que Santo agostinho Não era católico! Porem neste abaixo leva a crer que o mesmo era!
      http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/AgostinhoDeHipona-PaiHeresiasRoma-DCloud.htm

      http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/Agostinho-PerdidoRomanistaPaiErrosHeresias-Helio.htm

      http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/FoiAgostinhoUmProtestante-Willcoxson.htm Este de um ortodoxo, onde só coloca as fontes!
      http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/PaisIgreja-PortasParaRoma-DCloud.htm este de David Cold

      Qual argumento é o certo? O desde blog ou o que citei acima? É uma pergunte simples que requer uma resposta simples, do tipo, este esta correto porque.... ou o outro esta correto porque...
      Obs. Falar que o outro não tem argumento e é fraquinho é por isso esta errado, não é resposta! Repito a pergunta, quem esta certo e porque? Responde se quiser, com palavras simples e didáticas!

      Eliminar
  10. Quem determina as estruturas dos posts aqui sou eu e mais ninguém. Este post não tem intenção de fundamentar a alegação de que Agostinho não cria nestas 8 doutrinas. Isso já está fundamentado em outros posts deste blog como já lhe disse atrás. A intenção é questionar se alguém pode ser católico romano sem crer nestas oito doutrinas que referi. Pode ou não? Responda sem rodeios.

    ResponderEliminar
  11. Enquanto esperamos a resposta do nosso amigo católico vamos fazer-lhe a vontade

    1) A eficácia ex opere operato dos sacramentos,

    A formulação da eficácia sacramental como ex opere operatum, em virtude do próprio acto realizado, em lugar de opus operans, a ação subjetiva ou opus operantis, em virtude da disposição subjetiva de quem recebe o sacramento, é um legado da escolástica (a partir de finais do século XII). A doutrina foi afirmada dogmaticamente no Concílio de Trento, na sua Sétima Sessão de 3 de Março de 1547.

    O conceito ex opere operato não é que o sacramento é válido independentemente do estado de santidade de quem o ministra embora implique nisso, e na realidade, para considerar o sacramento válido independente do estado de santidade do ministro não é preciso supor a eficácia ex opere operato do sacramento.

    Ex opere operato significa que os sacramentos conferem a graça em virtude do próprio ato e não em virtude da disposição subjectiva do ministro e de quem recebe o sacramento.

    Por exemplo, enquanto nós entendemos que o batismo é um sinal externo de uma graça interior que quem a recebe “apropriou-se” devido ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo, os católicos romanos crêem que é o batismo que confere esta graça e perdoa pecados ao batizando em virtude do seu próprio poder, de forma automática, independentemente de haver a pregação da Palavra, arrependimento e fé em Cristo.

    No entanto Agostinho ensinou “Essa eficácia da água, tão grande que esta toca o corpo, mas lava o coração, a que se deve senão à palavra, a qual,.., atua não porque se pronuncia, mas porque é crida?.” (Joannis Evangelische Tractatus, LXXX. 3).

    De onde vem, segundo Agostinho, toda essa eficácia tão grande, ou poder da água, que toca o corpo, e lava o coração, senão pela obra da palavra? Não por aquilo que é falado (pelo ministro), mas por aquilo que é crido (pelos fiéis).

    Portanto, aqui Agostinho expressa a necessidade absoluta de fé para a eficácia do sacramento, o que é incompatível com a eficácia mágica dos sacramentos que supõe o conceito ex opere operato.

    ResponderEliminar
  12. 2) O culto às imagens

    Doutrina de origem pagã condenada unanimemente pelos Padres da Igreja dos primeiros séculos, entre eles Agostinho de Hipona.

    Num dos seus escritos contra os maniqueus, Agostinho de Hipona admite que alguns adoram imagens, mas não reconhece os tais como verdadeiros cristãos: "Não reúnas contra mim os professantes do nome cristão, que nem conhecem nem dão evidência do poder de sua profissão... Sei que há muitos adoradores de túmulos e de pinturas ... Nem é surpreendente que entre tantas multidões [de cristãos] hajas de encontrar alguns que pela sua vida de condenação possas enganar os incautos e seduzi-los [para tirá-los] da segurança católica." (De Moribus Eccl. Cath., 34:75).

    O bispo de Hipona, como Orígenes antes dele, refutou de antemão o argumento de São Tomás acerca de que não se presta culto à imagem, mas ao que representa:

    "Envergonhem-se todos os que servem a uma escultura, os que se gloriam nos ídolos! Mas avança um que se crê douto e diz: 'Eu não adoro uma pedra nem esta imagem que não tem sentimentos; porque não é possível que os vossos profetas tenham imaginado que tinham olhos e não viam, e que eu seja ignorante até ao ponto de não saber que a imagem não tem alma e não vê pelos seus olhos e não ouve pelos seus ouvidos. Eu não adoro isto; mas me inclino perante isto que vejo e sirvo àquele a quem não vejo', 'quem é este?'. 'Algum poder invisível - se nos diz - que radica nesta imagem'. Mediante este tipo de explicação acerca de suas imagens, pensam que são muito inteligentes e que de modo algum se os pode contar entre os adoradores de ídolos." (Sobre Salmos 96, 2)

    Se alguém pensa que Agostinho prestava culto de dulia às reliquias ele próprio encarrega-se de desmentir:

    "É verdade que os cristãos rendem honra religiosa à memória dos mártires, para excitar-nos a imitá-los, e para obter parte dos seus méritos, e a assistência das suas orações. Mas não construímos altares a nenhum mártir, mas ao Deus dos mártires, ainda que seja para a memória dos mártires (...) A oferta se faz a Deus, que deu a coroa do martírio, enquanto é em memória dos assim coroados (...) Consideramos os mártires com a mesma intimidade afectuosa que sentimos pelos homens santos de Deus nesta vida, quando sabemos que os seus corações estão preparados para suportar o mesmo sofrimento pela verdade do evangelho. Há mais devoção nos nossos sentimentos pelos mártires, porque sabemos que a sua luta terminou; e podemos falar com mais confiança em louvor daqueles já vencedores no céu, que dos que ainda combatem aqui. O que é culto propriamente divino, que os gregos chamam latria, e para o qual não há palavra em latim, tanto na doutrina como na prática, o damos só a Deus. A este culto corresponde a oferta de sacrifícios; como vemos na palavra idolatria, que significa dar este culto a ídolos. Consequentemente, nunca oferecemos, nem exigimos de ninguém que ofereça, um sacrifício a um mártir, ou a uma alma santa, ou a algum anjo. Qualquer que caia neste erro é instruído pela doutrina, quer seja como correcção ou como advertência. Pois os próprios seres santos, sejam santos ou anjos, se recusam a aceitar o que sabem que se deve só a Deus (...) Sacrificar aos mártires, mesmo jejuando, é pior que voltar a casa intoxicado da festa; sacrificar aos mártires, digo, o que é muito diferente que sacrificar a Deus em memória dos mártires, como o fazemos constantemente, da maneira requerida desde a revelação do Novo testamento, pois isso pertence ao culto ou latria que se deve só a Deus."

    Como pode ver-se, Agostinho traça a distinção entre latria e a honra que se dá aos mártires, mas não menciona de modo nenhum a dulia, já que deixa claro que tal honra é qualitativamente similar à que se deve às pessoas santas ainda vivas. O que corrobora a afirmação de que a suposta distinção entre latria e dulia é posterior.

    ResponderEliminar
  13. 3) A infalibilidade do Papa,

    Doutrina completamente desconhecida no primeiro milénio, com origem na Baixa Idade Média.

    Ver o caso do Papa Zósimo e como os bispos Africanos, com Agostinho de Hipona, o consideraram "infalível" na controvérsia pelagiana.

    Agostinho sobre infalibilidade

    Agostinho (354-430): Só Deus jura de forma segura, porque só Ele é infalível.

    NPNF1: Vol. VIII, St. Augustin on the Psalms, Psalm 89, § 4.

    Texto latino: Deus solus securus jurat, quia falli non potest.

    Ver em Psalmum LXXXVIII Enarratio, Sermo I, PL 37:1122.

    Agostinho (354-430): Mas a autoridade humana muitas vezes falha.

    FC, Vol. 5, Saint Augustine On Divine Providence and the Problem of Evil, Book 2, Chapter 9, §27 (New York: CIMA Publishing Co., Inc., 1948), p. 305.

    Agostinho (354-430): Deixe-me, portanto, dizer em poucas palavras à sua Caridade, que o presbítero Bonifácio não foi achado por mim culpado de qualquer crime, e que eu nunca acreditei, e ainda não acredito, em qualquer acusação contra ele. Como, então, poderia ordenar que o seu nome fosse excluído do rol de presbíteros, quando plenamente avisado pela palavra de nosso Senhor no evangelho: "Com o juízo com que julgais, sereis julgados". Pois, vendo que a disputa que surgiu entre ele e Spes foi por seu consentimento submetida à arbitragem divina de uma forma que, se desejar, lhe pode ser dada a conhecer, quem sou eu, para ter a presunção de antecipar a deliberação divina excluindo ou suprimindo o seu nome? Como bispo, eu não devia precipitadamente suspeitar dele, e como sou apenas um homem, eu não posso decidir infalivelmente sobre coisas que estão escondidas de mim. Mesmo em assuntos seculares, quando um apelo é feito para uma autoridade superior, todo o procedimento persiste enquanto o caso aguarda a decisão da qual não há apelo, porque se alguma coisa for alterada enquanto o assunto está dependente da sua arbitragem, isto seria um insulto para o tribunal superior. E como é grande a distância entre mesmo a mais alta autoridade humana e a divina!

    NPNF1: Vol. I, Letters of St. Augustin, Letter 77 - To, §2.

    Como podemos constatar Agostinho faz uso do termo "infalível" nos seus escritos.

    Seria de esperar que ele o usasse em algum lugar para descrever a Igreja ou o bispo de Roma se acreditasse que estas entidades eram infalíveis.

    Mas o uso do termo “infalível” nos escritos de Agostinho é apenas encontrado para descrever Deus e as Escrituras. Em lado nenhum se encontra ele a descrever o Papa ou a Igreja como “infalível”.

    De modo que, isto nos deixa entender que para Agostinho, as únicas entidades que ele acreditava serem “infalíveis”, eram Deus e as Escrituras.

    Ver mais em http://conhecereis-a-verdade.blogspot.pt/2012/02/agostinho-sobre-infalibilidade.html

    ResponderEliminar
  14. 4) A confissão auricular como sacramento,

    A confissão auricular foi normatizada pelo IV Concílio de Latrão (1215), tido por XII ecuménico pela Igreja de Roma, onde foi estabelecido a obrigatoriedade de confessar-se e comungar pelo menos uma vez ao ano, com a seguinte sanção para os transgressores:

    do contrário, durante a vida, deve se lhe proibir o acesso à Igreja e, ao morrer, privá-lo de cristã sepultura.

    Denzinger # 437

    Como tantas outras falsas doutrinas, a confissão sacramental é de origem medieval. Antes desta época recomendou-se com frequência, pelo menos desde Orígenes, a confissão privada, mas não como sacramento de observância obrigatória nem para que o sacerdote declarasse a absolvição.

    O que a Igreja antiga ensinou é a prática usual de muitas igrejas evangélicas. É parte normal da tarefa de um pastor ouvir irmãos que sentem a necessidade de confessar privadamente faltas graves (de facto, para evitar escândalos pode-se admitir uma confissão pública somente se previamente se tiver a autorização do presbitério). Isto permite, além de uma catarse, a adequada orientação pastoral.

    No tempo de Agostinho o que era conhecido como confissão era somente o arrependimento pelos pecados graves cometidos.

    "When ye have been baptized, hold fast a good life in the commandments of God, that ye may guard your Baptism even unto the end. I do not tell you that ye will live here without sin; but they are venial, without which this life is not. For the sake of all sins was Baptism provided; for the sake of fight sins, without which we cannot be, was prayer provided. What hath the Prayer? ‘Forgive us our debts, as we also forgive our debtors.’ Once for all we have washing in Baptism, every day we have washing in prayer. Only, do not commit those things for which ye must needs be separated from Christ’s body: which be far from you! For those whom ye have seen doing penance, have committed heinous things, either adulteries or some enormous crimes: for these they do penance. Because if theirs had been light sins, to blot out these daily prayer would suffice. In three ways then are sins remitted in the Church; by Baptism, by prayer, by the greater humility of penance" (Philip Schaff, Nicene and Post-Nicene Fathers (Grand Rapids: Eerdmans, 1956), Volume III, St. Augustin, On The Creed 15, 16).

    "But they who think that all other sins are easily atoned for by alms, yet have no doubt of three being deadly, and such as require to be punished by excommunications, until they have been healed by a greater humility of penance, namely, unchastity, idolatry, murder (Library of Fathers of the Holy Catholic Church" (London: Oxford, 1847), St. Augustine, Of Faith and Works 34).

    "Vice, however, sometimes makes such inroads among men that, even after they have done penance and have been readmitted to the Sacrament of the altar, they commit the same or more grevious sins, yet God makes His sun to rise even on such men and gives His gifts of life and health as lavishly as He did before their fall. And, although the same opportunity of penance is not again granted them in the Church, God does not forget to exercise His patience toward them" (The Fathers of the Church (Washington D.C.: Catholic University, 1953), Saint Augustine, Letters, Volume III, Letter 153, p. 284-285).

    ResponderEliminar
  15. 5) A imaculada conceição de Maria,

    Doutrina completamente desconhecida no primeiro milénio, de origem medieval e rejeitada por ilustres membros da Igreja de Roma, entre os quais Tomás de Aquino, o qual nos informa que Agostinho escreveu algo incompatível com a crença na imaculada conceição de Maria.

    "Consequentemente, ainda que os pais da Bendita Virgem tenham sido limpos do pecado original, todavia ela contraiu o pecado original, já que foi concebida por via da concupiscência da carne e da relação entre varão e mulher; pois diz Agostinho (De Nup. et Concup. i): "Toda carne nascida de relação carnal é pecaminosa.""

    Tomás de Aquino, Summa Theologica III, 27: 2.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1º Aconselho vc ler mais livros de Santo Agostinho, isso se já leu algum! Já leu o tratado sobre o evangelho de São João?

      2 ITEM, CULTO A IMAGENS.
      Como alguém pode falar de Agostinho sem conhecer a obra dele? O culto de honra aos heróis da fé é exatamente o culto de dulia. Explica para nós o que seria esta honra? Como seria feito esta honra? “É verdade que os cristãos rendem honra religiosa à memória dos mártires"
      Mostre onde os cristões protestante fazem isso e como? E diga pra seus leitores sobre o que Agostinho estava tratando!

      Qual a diferença de imagens e relíquias? Posso venerar uma relíquia e não posso venerar uma imagem? Alias, qual protestante chama ossos de relíquias?
      Conhece a passagem de 2Reis 13:21?
      E os ossos de São Policarpo: “MAIS PRECIOSO DO QUE PEDRA, MAIS VALIOSOS DO QUE OURO" que foi colocado em lugar conveniente? Qual era a intenção de se guardar os ossos de São Policarpo? Qual seria o lugar conveniente?
      Onde e como era celebrado o aniversario da morte de Policarpo? Para que servia isso? E em qual igreja protestante eu vejo isso hoje?

      Eliminar
    2. 3º a infabilidade papal!

      Aqui, mostra como vcs não conhecem nada de catolicismo, até eu que ainda estou no começo no meu aprendizado sei muito mais sobre a igreja católica!
      O amigo tem um blog para atacar algo sem conhecer? Como ex-adventista, conheço todas as doutrinas da igreja e tenho preparo para debater com qualquer adventista sobre suas heresias, até mais do que a igreja católica, visto que tem 2000 anos e sei que irei morrer aprendendo sobre ele e a revelações de Deus!
      Aprenda o que é infabilidade papal para depois querer usar os Santos da Igreja contra ela, me desculpe, mas deu um tiro no pé com este argumento vazio e mentiroso e já sabem para onde vão os mentirosos!
      Prezados, até Wikipédia explica isso! http://pt.wikipedia.org/wiki/Infalibilidade_papal
      Ou vá direto a fonte e leia: Constituição Dogmática Pastor Aeternus!
      Quem ler vai entender o que é uma infabilidade papal, não é impecabilidade, só quem acredita nela é quem crer nas palavras de Nosso Senhor Jesus e que o Espirito Santo esta na igreja!

      Agostinho era um bispo, acaso algum bispo se diz infalível individualmente hoje? Acaso a encíclicas papais são infalíveis na visão da Igreja Católica?
      Bom, vc diz: Mas o uso do termo “infalível” nos escritos de Agostinho é apenas encontrado para descrever Deus e as Escrituras. Em lado nenhum se encontra ele a descrever o Papa ou a Igreja como “infalível”.
      Bom, Deus e as Escrituras. Pelo que sei Deus não escreveu as escrituras, correto? Até Jesus, mesmo sabendo escrever, não escreveu nada, e nem mandou escrever com exceção do apocalipse que foi apos sua ressurreição! Sendo assim tenho a minha bíblia 1º e 2ª Pedro.
      Partindo do seu raciocino, Pedro negou Jesus três vezes e era pecador, logo seus escritos não são infalíveis, seus ensinamentos tem erros, o mesmo não é infalível, concorda? Logo não posso acreditar nos escritos dele, como também não posso acreditar em nenhum dos outros, pois todos eram pecadores! Agora de um argumento para eu acreditar que os escritos destes pecadores são infalíveis e que os de outros pecadores como o papa não o é?
      Se o argumento for, que eles foram guiados pelo Espirito Santo, é o mesmo que usamos para acreditar na infabilidade papal, pois continuamos a acreditar que quando ele fala como ex-cathedra, fala pelo Espirito Santo.
      Para ser mais claro, acredito que a bíblia é um livro infalível em questão de fé e moral, se eu for acreditar que ela é infalível em matéria de história, ciência, arqueologia e outras coisas, irei encontrar muitos erros.
      O mesmo se refere à infabilidade papal, ele é infalível na questão de fé e moral quando se pronuncia em ex cathedra pelo Espirito Santo. Não em sua vida privada do dia ou até mesmo em suas encíclicas

      Eliminar
    3. 4º Confissão auricular

      Aqui é mais uma prova de que não conhece a obrar de Santo Agostinho, usando textos truncados sem refletir o pensamento dele, ou seja, vc interpreta conforme lhe convém! Por este motivo que debates na net são utopia, enganação, pois se usam de má fé para vencer o oponente!

      5º imaculada conceição de Maria

      Meu Deus, quanto a Santo Agostinho, aconselho que leia o livro A "Virgem Maria" onde tem uma analise geral do pensamento de Santo Agostinho sobre a Virgem Maria em Toda sua obra, é um pequeno e barato, tem 177 paginas e poderá ajudar a vc entender mais sobre o assunto!

      Quanto a São Tomas, sou obrigado a dizer a mesma coisa, sabe que ele morreu ainda muito novo, sobre esta questão, quando jovem ele acreditava da maneira que a igreja acredita, com o passar do tempo ele passa a pensar de uma maneira incompleta, mas no final de sua vida, volta a acreditar da maneira que a igreja acredita e como ele acreditava no inicio, portanto é importante que leia toda sua obra para entender seu pensamento!
      Obs. Vc citou apenas a suma teológica.

      Eliminar
    4. A esta altura do campeonato os seus comentários resultam jocosos.

      Que o papa não é impecável já todos nós percebemos, o que não percebemos é como pode ser dissoluto, promíscuo, simoníaco, nepotista e até herege e ao mesmo tempo infalível quando fala ex cathedra. Como se a qualidade do ensino de qualquer mestre cristão (e não só o papa) fosse independente da sua condição moral.

      Pode amavelmente indicar-nos quantas e quais foram as definições papais ao longo da história, ou para facilitar, digamos, durante os primeiros mil anos do cristianismo, que cumpriram com os critérios de infalibilidade estabelecidos no século XIX?

      Como se chegou à conclusão que os critérios de infalibilidade são aqueles estabelecidos e não outros?

      Como sabe que Zósimo não ensinou de modo infalível? Tem por acaso alguma lista infalível de quais são as definições infalíveis?

      Porque se não a tem, tudo fica em mãos de humanos reconhecidamente falíveis a determinação de quais proposições são infalíveis. E o que é pior, nas mesmas falíveis mãos cai a tarefa de interpretar – no suposto que se possam identificar - as referidas definições infalíveis.

      Não precisa de responder, são só perguntas retóricas.

      Eliminar
    5. O argumento para menosprezar o outro é dar rizadas, gargalhada, humalhar". Mas não caio neste joguinho e pode atribuir o que quiser a minha pessoa! Responde em qual argumento devo acreditar, no seu o no outro? É Tão dificil assim? e se responder o que perguntei a tempo, entenderá o qual será a minha resposta! Somente Deus e as ESCRITURAS, são infaliveis!Pedro cometeu o pior pecados de todos que foi negar a Cristo e ainda foi chamado de Satanas! Sendo ele um grande pecador, pode seus escritos serem infaliveis? O mesmo serve para os demais escritos dos apóstolos. Fale sobre a infalibilidade da livro de apocalipse, quando foi canonizado, o que Eusebio falou dela em sua época? era aceito sem questionamento? Para finalizar, porque não solta as mensagens do Sandro de Pontes?


      Eliminar
    6. Outra vez? Isso já foi respondido no dia 21. Se não consegue ver não posso fazer nada. Não é suposto os protestantes concordarem em tudo. E em última análise você é que tem que discernir em que argumento deve acreditar. E não se trata tanto de uma questão de acreditar, porque a questão que estamos a tratar tem a ver com evidência histórica, com fatos, não é uma questão de fé.

      Quando Jesus chamou Pedro de Satanás, porque tentou desviá-lo da sua missão messiânica, demonstra precisamente que as promessas que fez a Pedro não podem dissociar-se da fidelidade do Apóstolo. Quando Pedro escreveu as epístolas não vivia dissolutamente ou de forma imoral, por isso pôde escrever as suas epístolas inspirado e guiado pelo Espírito Santo. Caso contrário, tinha sido destituído do seu ministério ou possivelmente expulso da Igreja. Está a comparar a autoridade das Escrituras com as definições papais, sejam elas quais forem, pronunciadas em condições arbitrárias?

      Os comentários do Sandro de Pontes não cumprem com o critério minimo de urbanidade e bons modos para serem publicados. Só para ter uma ideia começa todos os seus comentários tratando o interlocutor como "intragável". Mas já não envia comentários desde o ano passado.

      Eliminar
    7. Para que fique claro. As epístolas de Pedro, como todas as outras Escrituras são infaliveis porque foram escritas sob inspiração do Espíirito Santo, e portanto reconhecidas como Palavra de Deus infalível. Não são infalíveis porque Pedro tivesse algum dom de infalibilidade em certas condições arbitrárias que se manifestava subitamente e independentemente da sua condição moral.

      Eliminar
    8. Já vi que não terá proveito, não respondeu minha pergunta e chamar alguem de intragável é motivo para não postar? Ele quis dizer que vc é repugnante, etc.. Se pode chamar de herético, repugnante não esta muito longe disso! Pois seus artigos mostram quem é vc!

      O artigo sobre a imortalidade do Lucas Banzoli fala que quem crer na imortalidade da alma, é pagão, crer numa heresia, não é questão secundaria! Então responde, quem é o herético, vc ou ele? Pode responder com clareza e de forma didatica? VC OU ELE? Quanto a seu comentario sobre PEDRO, respondo com sua palavra, chega a ser jacosos!

      Finalizo aqui e espero que libere os posts do Sandro de Pontes, será de muito proveito para todos!

      Estarei orando por vc!

      Eliminar
  16. Excelente!!!!Blgo Conhecereis a Verdade!!!parabéns por toda a fundamentação patrística!!!

    ResponderEliminar
  17. 6) A transubstanciação

    Os africanos, Tertuliano, Cipriano e Agostinho, ensinam uma presença simbólica e espiritual. O pão e o vinho eram para eles símbolos de uma realidade espiritual que estava verdadeiramente presente de modo misterioso. Agostinho de Hipona (354- 430) "enfatizou a distinção entre o símbolo e a coisa significada, as realidades visíveis e invisíveis, sendo as últimas apreensíveis somente pela fé." [International Standard Bible Encyclopedia 3:167].

    Para Agostinho os elementos eucarísticos são a figura ou sinal de Cristo, como ele afirma explicitamente nos seus escritos:

    "O Senhor não hesitou em dizer: "Isto é o meu corpo", quando Ele quis dar um sinal do Seu corpo" (Agostinho, contra Adimante).

    "Ele [Cristo] confiou e entregou aos seus discípulos a figura do Seu Corpo e Sangue" (Agostinho, sobre os Salmos 3).

    "[Os sacramentos] trazem os nomes das realidades que eles assemelham. Assim, portanto, de uma certa maneira o sacramento do corpo de Cristo é o corpo de Cristo, e o sacramento do sangue de Cristo é o sangue de Cristo” (Agostinho, Carta 98, para Bonifácio).

    A Eucaristia é a figura do corpo e sangue de Jesus. Uma vez que o pão e o vinho representam o corpo e o sangue de Cristo, é aceitável chamá-los Seu corpo e Seu sangue. O pão assemelha o corpo; portanto é chamado o corpo, mesmo que não seja a realidade que ele representa. Isto é perfeitamente normal em linguagem figurada.

    No século IX Ratramnus apelou às opiniões de Agostinho para a interpretação espiritual. Contudo, gradualmente esta interpretação perdeu a batalha numa igreja crescentemente ritualista, e quando no século XI Berengário de Tours a reformulou, os seus ensinamentos foram condenados pela Igreja de Roma.
    Um par de séculos antes, Pascasius Radbertus havia formulado a doutrina da transubstanciação, a qual foi sancionada pelo IV Concílio de Latrão de 1215. Pouco depois Tomás de Aquino proveu uma base filosófica baseada em distinções aristotélicas entre substância e acidentes. O assunto foi definitivamente estabelecido para a Igreja de Roma no Concílio de Trento.

    Agostinho justamente adverte que "tomar sinais como sendo as coisas que são significadas por eles, é uma marca de fraqueza e servidão" (Em Doutrina Cristã 3,9). Agostinho aqui está referindo-se ao sacramento do batismo e à celebração do corpo e sangue do Senhor. De modo que, confundir o pão (o sinal) como sendo o corpo de Cristo (o significado) é, de acordo com Agostinho uma marca de fraqueza e servidão.

    ResponderEliminar
  18. Sou ex adventista e sei muito bem a teologia para explicar a doutrina da mortalidade da Alma, esta doutrina não é colocada como algo secundário no cristianismo no qual no implica na perda da salvação da alma!
    Para os defensores da mortalidade da alma, ela foi colocado no mundo por SATANAS já no EDEM quando disse “ NÃO MORRERAS” e depois incorporado no cristianismo vindo do paganismo! Portanto para os que creem nisto, todos que creem na imortalidade da alma estão a serviço do enganador!
    Sendo assim, quem esta com a verdade, o autor deste blog com acredita da imortalidade da alma!
    http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/search/label/A%20imortalidade%20da%20alma

    ou o Lucas Banzoli que pensa como os adventistas conforme abaixo?
    http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/index.php?pagina=1086177388

    Quem esta a serviço de Deus e quem esta a serviço de Satanas?

    Fico no aguardo da simples resposta

    ResponderEliminar
  19. E o que é que isso tem a ver com o que temos vindo a falar?
    Por que é que acha que sou eu a autoridade final nessa matéria?
    A sua convicção sobre quem está com a verdade depende exclusivamente da minha resposta?

    Você não tem responsabilidade nem possibilidade nenhuma de descobrir, ou chegar a uma conclusão, sobre quem está com a verdade. Está à espera que uma autoridade qualquer externa a si, lhe dite o que é a verdade e você de modo passivo a recebe sem questionar? É isso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu perguntei quem esta com a verdade. Sobre minha maneira de pensar, se conhece o catolicismo como argumenta conhecer, sabe minha maneira de pensar! Se sabe porque estou perguntando, pode responder por favor? E somente coloquei esta pergunta para reforçar a pergunta anterior sobre quem fala a verdade sobre Agostinho, se é vc ou o outro site protestante! Amigo, vamos evitar sermos cansativos! Responde para os leitores quem esta certo, apenas isso!

      Eliminar
    2. Vc diz; "Para que fique claro. As epístolas de Pedro, como todas as outras Escrituras são infaliveis porque foram escritas sob inspiração do Espíirito Santo, e portanto reconhecidas como Palavra de Deus infalível. Não são infalíveis porque Pedro tivesse algum dom de infalibilidade em certas condições arbitrárias que se manifestava subitamente e independentemente da sua condição moral."

      O que vc quer dizer em INSPIRAÇÃO DO ESPIRITO SANTOS? ele incorporou no corpo dos escritores tipo uma psicografia?

      E Portanto reconhecidas como palavra de Deus.

      Reconhecida por quem? Este é o critério para reconhecer algo como sagrado? Seu argumento pode ser usado por qualquer um para dar autoridade a um livro sagrado. partindo de seu pensamento, o alcorão tb é inspirado, é sagrado e outros livros tidos como "sagrados" por outras religiões tb!

      Repito, quem esta certo, vc ou o lucas banzoli? Qual dos dois é o herético? Quem esta certo sobre Santo Agostinho, vc ou o site do tal Hélio? Só responde isso!

      Eliminar
    3. Cristiano,

      De novo!!!!! Um coisa de cada vez cidadão e o post é sobre o credo de STO Agostinho!!!!

      Se quer debater sobre o estado da alma vai lá no outro post,mas a leviandade é tão grande que o cidadão foge do tema(i);introduz outros temas (ii);ofende e diz que não ofende(iii) e ainda quer ser levado a sério(iv).

      Se for pra mudar de assunto vai ter que responder qual a missa verdadeira se é a tridentina ou a RCC -que é um plágio descarado do pentecostalismo brasileiro -ou quem tenha a verdade se é a Igreja romana ou ortodoxa...enfim eu podia te fazer esse tipo de pergunta,mas o tema aqui,cidadão,é o credo de Sto Agostinho!Quanto ao Lucas, deixa de covardia e escreva uma carta no blog dele.

      Não sei se o "Conhecereis a Verdade" conhece a RCC aí na Europa,mas aqui no Brasil,meu caro,não podem mais falar do nosso culto pentecostal...e aí ? Quem está com a verdade ?

      O critério para reconhcer o sagrado é dado por Roma...uhulllll...nossa que legal!!!!Conte-me mais sobre isso!!!!

      Eliminar
    4. O mais absurdo ainda é que ele pergunta-me a mim próprio que sou parte na questão, se sou eu ou outro que está com a verdade. Como se eu pudesse responder que é o outro revelando-me uma espécie de sado-masoquista que publico consciente e propositadamente coisas erradas.

      E se eu respondesse que era eu obviamente que estava coma verdade e o Lucas respondia que era ele, depois a quem ele ia perguntar quem tinha razão? lol

      E se eu agora começasse a perguntar quem tem razão nas contradições entre papas, padres da Igreja, concílios, etc....

      Ah é vderdade e quem está com a razão o Sandro de Pontes, que é sedevacantista, não reconhece o papa Bento XVI como legítimo ou o Rafael Rodrigues? Cristiano afinal quem é o papa legítimo? kkkkkkkkk

      Eliminar
    5. Este artigo já foi refutado por um site protestante que já citei e vc apenas disse que ele é fraco, site inclusive indicado pelo seu irmão lucas no blog dele! Portanto, não preciso tratar mais deste assunto!


      Quanto ao Lucas, já mandei mensagens para ele na refutação dele sobre cipriano, mas não tive resposta! Mas não converso com louco, pois ele nada mais é que um moleque maluco! O gustavo do e-cristianismo sim é um cara educado e ponderado, sigam o exemplo dele! Fora que é o melhor site protestante que conheço, na minha opinião!

      Quanto a pergunta, responde ai, quem é o herético, este blog ou o do lucas na questão da imortalidade da alma! Responde isso e depois conversamos sobre as suas outras perguntas! Ou caso queira, aquele debate ainda esta de pé!

      Eliminar
    6. "kkkkk" é este os argumentos dos inocentes? Responde minha pergunta e darei a minha sobre o Sandro de Pontes! Mas peço que solte os postS dele e abra um debate com o mesmo! Com certeza sua pergunta será respondida pelo ele de maneira mais clara que a minha!

      Bom, pelo seu argumento acima, posso afirmar que vc confirma que o herético é o Lucas?

      Quanto a sua indagação de quem eu irei perguntar! Fica ai uma pergunta, quem é analfabeto e não entende das escrituras, a quem vai pedir ajuda? Vai cair do céu? Jesus não deixou ng para nos ajudar nesta caminhada?
      E as pessoas com dislexia e outros problemas ligados a dificuldade de aprender? A quem elas recorrem no aprendizado de Deus?Obs. Minha esposa é psicopedagoga e sabe como tem pessoas com problemas graves com dificuldade de aprender! ME AJUDA AI Ô!!!

      Eliminar
    7. Pergunte ao Vaticano se os analfabetos não podem ouvir a palavra de DEUS...

      kkkkkkkkkkkkkk

      Eliminar
    8. E o Vaticano responde: - Poder podem mas só se for em latim. :-)

      Eliminar
    9. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Esse blog é de apologética,mas os participantes que comentam aqui de vez em quando me fazem pensar que é um blog de humor...."em latim"... foi boa essa...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....

      Eliminar
  20. Não sei se o Lucas é louco ou não, mas você não parece ter os parafusos todos.

    ResponderEliminar
  21. 7) A missa como repetição do sacrifício de Cristo

    Este ponto decorre do anterior. O dogma da transubstanciação é que faz da celebração eucarística uma repetição incruenta do sacrifício de Cristo e do pão eucarístico um objeto do mais elevado culto.

    Por conseguinte, Agostinho não crendo na transubstanciação também não cria naquilo que ela implica, ou seja, a repetição incruenta do sacrifício de Cristo na cruz, oficiado por um sacerdote como representante da Igreja, e repetido em cada missa.

    Para agostinho a acção de graças (que é o que significa eucaristia) é que é o sacrifício espiritual válido oferecido pelos fiéis.

    ResponderEliminar
  22. 8) O primado de jurisdição do bispo de Roma sobre a igreja universal.

    No tempo de Agostinho de Hipona, o bispo de Roma não tinha a jurisdição sobre outras igrejas que adquiriu no Ocidente com a decadência do império romano (e não sobre as igrejas do Oriente).

    Agostinho de Hipona não acreditava no conceito do papado. A sua eclesiologia não o contempla. Isto o atesta, por exemplo, o conflito entre o bispo de Roma Zósimo e os bispos africanos com Agostinho à cabeça, por causa da heresia pelagiana, onde a autoridade e as decisões do bispo de Roma foram claramente rejeitadas.

    A controvérsia sustentada pelo mesmo bispo de Roma com os africanos a propósito das apelações, mostra o pobre Zósimo como muito pouco versado também em questões de disciplina eclesiástica, e depõe contra a existência de um primado de jurisdição do bispo de Roma sobre a Igreja universal naquela época.

    Foi apenas na época de Leão I (440-461), que o bispo de Roma esteve em condições de usurpar um poder que não lhe pertencia nem lhe pertence.

    ResponderEliminar
  23. "Pois como se dizem certas coisas que parecem aplicar-se peculiarmente ao Apóstolo Pedro, e no entanto não são claras em significado, a menos que se refiram à Igreja, a quem ele é reconhecido como tendo representado figuradamente, por causa da primazia que tinha entre os discípulos; como está escrito, «Eu te darei as chaves do reino dos céus» e outras passagens similares; assim Judas representa aqueles judeus que eram inimigos de Cristo... E agora, na sua linha de sucessão, continuando esta espécie de impiedade, o odeiam." (Comentário sobre o Salmo 108 1)

    Claramente, Agostinho sugere aqui uma interpretação colectiva (eclesiástica) da entrega das chaves; Pedro as recebeu não como "papa" mas como representante do Corpo de Cristo. Em outro lado diz Agostinho no mesmo sentido, a propósito do facto de, no mesmo capítulo 16 de Mateus, Pedro ser chamado "bem-aventurado" e "Satanás":

    "Ora, este nome de Pedro lhe foi dado pelo Senhor, [para] que numa figura, representasse a Igreja. Pois vendo que Cristo é a Pedra (Petra), Pedro é o povo cristão. Pois a pedra (Petra) é o nome original. Portanto, Pedro é assim chamado pela Pedra, não a Pedra por Pedro; como Cristo não é chamado Cristo por causa do cristão, mas o cristão por Cristo… Eu te edificarei a ti sobre mim, não me edificarei a mim sobre ti.

    Pois os homens que desejam edificar-se sobre homens diziam "Eu sou de Paulo; e eu de Apolo, e eu de Cefas" que é Pedro. Mas outros que não desejam ser edificados sobre Pedro, mas sobre a Pedra, dizem, "Mas eu sou de Cristo". E quando o Apóstolo Paulo notou que ele foi escolhido e Cristo desprezado, disse: "Está dividido Cristo? ou fostes baptizados em nome de Paulo?" E, como não em nome de Paulo, também não em nome de Pedro, mas em nome de Cristo: para que Pedro pudesse ser edificado sobre a Pedra, não a Pedra sobre Pedro.

    Este mesmo Pedro, portanto, que havia sido pronunciado pela Pedra "bendito", portando a figura da Igreja, sustentando o lugar principal do Apostolado, ... desgostou o Senhor... [que]... o chamou "Satanás"...

    Distingamos, vendo-nos a nós próprios neste membro da Igreja, o que é de Deus e o que é de nós. Pois então não vacilaremos, então estaremos fundados na Pedra, estaremos fixos e firmes contra os ventos, e tormentas, e correntes, as tentações, quero dizer, do mundo presente. Vede ainda Pedro, que era então nossa figura; ora confia, ora vacila; ora confessa o Imortal, ora teme que morra. Porquê? Porque a Igreja de Cristo tem tanto fortes como fracos; e não pode existir sem fortes e fracos; pelo que diz o Apóstolo Paulo, "Ora os que são fortes suportem as fraquezas dos fracos". Pedro ao dizer "Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo" representa os fortes, mas ao vacilar, e não querer que Cristo sofra, ao temer a morte d`Ele, e não reconhecer a Vida, representa os fracos da Igreja. Naquele único Apóstolo então, ou seja, em Pedro, na ordem dos Apóstolos primeiro e principal, em quem toda a Igreja estava figurada, ambos os tipos haviam de estar representados, ou seja, tanto os fortes como os fracos; porque a Igreja não pode existir sem ambos."

    (Sermão 26 sobre Mateus 16:25)

    ResponderEliminar
  24. "Cristo, como vês, edificou a sua Igreja não sobre um homem mas sobre a confissão de Pedro. Qual é a confissão de Pedro? «Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo». Aqui está a pedra para ti, aqui está o fundamento, aqui é onde a Igreja foi edificada, a qual as portas do inframundo não podem conquistar."

    (Agostinho de Hipona, Sermão 229P.1)

    ResponderEliminar
  25. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentário removido por intolerável insulto gratuito a outro participante.

      Eliminar
  26. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentário removido por conter acusações graves a uma pessoa que não está aqui para se defender.

      O local onde se lava roupa suja é na lavandaria, não nas caixas de comentários deste blog.

      Eliminar
  27. Uma nota final sobre Agostinho.

    Apesar de Agostinho não ter ensinado estas oito falsas doutrinas não significa que não tenha ensinado outras. Nunca nos devemos esquecer que a nossa autoridade final em matéria de fé e costumes permanece as Escrituras, e portanto todas as doutrinas dos Padres devem comprovar-se com a Escritura. O que disse Agostinho sobre os escritos de Cipriano podemos aplicá-lo perfeitamente aos próprios escritos de Agostinho:

    "Não fazemos injustiça a Cipriano quando fazemos uma distinção entre as suas epístolas e a autoridade canónica das Escrituras divinas. Fora das Sagradas Escrituras canónicas, podemos livremente emitir juízo sobre os escritos de crentes e incrédulos por igual [...] Por tal razão as epístolas de Cipriano, as quais carecem de autoridade canónica, devem ser julgadas de acordo com a sua conformidade com a autoridade dos escritos divinos. Assim que podemos aceitar de Cipriano só o que concorda, e seguramente rejeitar o que não concorda, com a Escritura" (Contra Cresconium 2, 39-40)

    ResponderEliminar
  28. Interessante :)

    http://resistireconstruir.wordpress.com/2013/03/15/como-a-igreja-romana-excomungou-s-agostinho/

    ResponderEliminar
  29. A propósito...

    Agostinho de Hipona, segundo os atuais critérios do romanismo, não era um bispo legítimo e validamente ordenado, uma vez que não foi nomeado pelo bispo de Roma (naquele tempo o bispo de Roma não tinha poder para nomear bispos noutras igrejas), nem teve o seu "agreement".

    ResponderEliminar
  30. Inspirado nesse debate sobre Agostinho e o catolicismo romano, resolvi começar um série que analisa as doutrinas defendidas ou não pelo bispo de Hipona. A primeira parte que trata do papado pode ser vista aqui:

    http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/02/agostinho-e-o-catolicismo-romano-parte.html

    Tomei a liberdade de usar algumas de suas traduções e acrescentei outras que julguei pertinente.

    Deus o abençoe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela indicação.

      Há quem defenda que a Reforma Protestante podia chamar-se «Reforma Agostiniana» devido à grande influência que este Padre da Igreja teve nos reformadores, em particular em Lutero, que era um monge agostiniano, e Calvino.

      Isto só por si já é significativo...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...